Outros

consumidor

Vamos mudar o modo de consumir? Que tipo de consumidor você é?

Que tipo de consumidor você é? Herói, vítima, indiferente ou vilão? Por que mudar? A era geológica atual é denominada Antropoceno, por conta das transformações do Planeta causadas por tecnologias, modelo de produção e consumo criados pelos humanos. Do momento da concepção até à morte (e por muito tempo depois), todos os humanos dependem dos […]

agenda-presidenciaveis

Agendas aos Candidatos à Presidência do Brasil, 2014: releitura.

As mídias divulgaram propostas aos candidatos à eleição para Presidente do Brasil em 2014. Parte foi agrupada pela Agenda Brasil que também apresentou suas próprias reivindicações (agendabrasilsustentavel.org.br). De outro lado, o Projeto Brasil organizou as propostas dos presidenciáveis, para conhecimento e comparação pelos eleitores (projetobrasil.org). • Agenda Brasil Sustentável – www.agendabrasilsustentavel.org.br • Agenda Mato Grosso […]

Capitalismo_economia_desenvolvimento_humano

Capitalismo, economia neoclássica e desenvolvimento humano

Democracia, economia e capitalismo são invenções humanas consideradas superiores, se comparadas a outros modelos para o desenvolvimento humano… apesar das críticas, falhas e injustiças cometidas em seus nomes. Em relação à democracia, a dúvida é se há melhores modelos alternativos ou substitutivos. Para economia – clássica, neoclássica e variante dessa, a ambiental – há propostas, […]

Business_As_Usual

Negócios usuais ou Não usuais: está feliz em seu trabalho?

A expressão Business as Usual (BAU) percorre o Planeta e identifica a empresa cujo modelo de produção e de negócios não atende às necessidades para a sustentabilidade. Business as Unusual (BAUn) é a antítese. BAU – em seu melhor perfil – representa a empresa bem gerenciada, independente, estável, eficiente, consciente dos riscos, controlada, focada, competitiva, […]

agua_condominios

Água em condomínios e responsabilidade social

Hábitos de consumo e responsabilidade social permitem distinguir a prática de cidadania e o caso da água é um ótimo exemplo. Principalmente em condomínios. A individualização do consumo gera redução de 25-40%, dizem tantos. E, pergunta-se, as pessoas com o hábito da torneira jorrando continuamente na preparação de alimentos, lavagem de utensílios? Que dizer dos […]

agricultura_urbana

O renascimento da agricultura urbana

Artigo publicado no site internazionale.it mostra a forte presença da agricultura urbana em várias partes do mundo. Segundo o artigo, o movimento que ganhou importância nos anos 70 em países subdesenvolvidos teve aceleração expressiva em todo o mundo nos últimos 15 anos. Programas nacionais de fomento à agricultura urbana incentivam o desenvolvimento de hortas em […]

swarming

Seguindo os passos nos movimentos de massa

A movimentação de agrupamentos, massas, colônias ou grupos de animais (swarming movement) surpreende as pessoas pela coordenação, harmonia, coerência, interatividade. Os especialistas dizem que o “indivíduo” da horda não é inteligente, mas, o grupo sim, pois, encontra o melhor caminho, a melhor solução, as oportunidades e defesas. A massa repete o padrão de comportamento, com […]

valores_intangiveis

Valor e sustentabilidade: quais e para quem

Valor é palavra muito usada no mundo das empresas, ONGs e órgãos de governo. Empresas falam em valor monetário de um ativo, entidade de negócio, bem comercializado, serviço prestado, responsabilidade ou obrigação adquirida. Ou, também, a valia de todos os benefícios ou direitos derivados de propriedade, da utilidade do bem ou do serviço ou do […]

ato de consumir

O ato de consumir

Somos – os humanos – indivíduos ou pessoas (espécimes) com variações comportamentais e de aparências, as quais, como população, caracteriza ou define a espécie biológica Homo sapiens sapiens, com 150.000 a 200.000 anos de idade. Substituímos outras espécies hominídias, extintas a milhões, e convivemos com a última do gênero Homo (os neandertais) com cruzamentos e […]

The Population Bomb

“A bomba populacional”

Publicado em 1968, por Paul Ralph Ehrlich, é um dos primeiros livros a discutir o conflito intrínseco entre as demandas do crescimento humano e os recursos finitos.